Páginas

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

A PARÓDIA DA ''CANÇAO DO EXÍLIO''.

Canção do exílio

Minha terra nao tem palmeiras,
E nem sabiá a cantar;
Meu amor, que aqui passeia
Nao passeia como lá.

Nosso céu nao tem estrelas,
Nossos jardins nao tem mais flores,
Nossos bosques estao sem vida,
E nossas vidas sem amores.

Em  cismar, sozinho, à noite,
Nao encontro mais prazer por lá;
Minha terra nao tem palmeiras,
E nem sabiá a cantar.

Minha terra nao tem primores,
Que tais eu encontro cá;
Ao cismar –sozinho, à noite
Nao encontro mais prazer por lá;
Minha terra nao tem mais palmeiras,
E nem sabiá a cantar.

Não permita Deus que eu morra,
Antes de ver meu Brasil mudar
onde possa ver primores,
Que agora nao consigo enxergar.
Minha terra nao tem palmeiras
mas um dia ela terá.


(JULIETE MEDEIROS)